Notícias » Brasil cresce aos olhos de seguradora internacional

Uma parceria entre a RSA e a ONG WWF trouxe Simon Lee, CEO global do grupo segurador, para o Rio de Janeiro. Um concurso desenvolvido pela empresa em Londres (o RSA’s Rainforest Challenge) teve como objetivo promover ideias verdes para reduzir impactos ambientais. Os vencedores do desafio vieram ao Brasil para passar uma semana com cientistas da WWF para aprender mais sobre os esforços de conservação e proteção de espécies nas florestas brasileiras.

A RSA está presente em 33 países. Na América Latina, tem operações no

México, Colômbia, Antilhas Holandesas, Uruguai, Chile, Argentina e Brasil. Este último é responsável pela produção de 150 milhões de libras – o grupo todo produz 8,5 bilhões de libras, segundo Lee. No primeiro semestre de 2012, o grupo somou 4,3 bilhões de libras no mundo todo. Deste número, 585 milhões são provenientes da região de mercados emergentes e 343 milhões da América Latina. “É uma parte relativamente pequena se comparar ao montante total, mas está crescendo. O negócio brasileiro triplicou de tamanho nos últimos 5 anos. É uma importante parte crescente do grupo. Nossa expectativa é que o crescimento continue em dois dígitos”, estimou o executivo em conversa com jornalistas durante sua visita ao Rio de Janeiro, no final de novembro.

O grupo está de olho no País, destaca Lee, uma vez que a economia brasileira ainda passa por um bom momento – considerando que a Europa, local onde a RSA concentra boa parte dos seus negócios, passa por uma crise financeira. “O que o Brasil nos proporciona é o acesso a um mercado com crescimento do PIB maior do que a média e baixa penetração de seguros, onde nós podemos trazer nossa experiência para crescer mais rápido do que o mercado”, analisou Lee. A expansão da classe média e dos negócios faz com que existam mais coisas a serem seguradas.

Fonte: Revista Apolice