Notícias » Concessões vão bancar parte dos custos da Infraero

 

Déficit da estatal vai ser coberto com recursos de Galeão e Confins.
 
Governo divulgou plano para aeroportos nesta quinta (20).
 
O presidente da Infraero, Gustavo do Vale, disse nesta quinta-feira (20) que a estatal vai ter parte de seus custos bancados pelo lucro da operação dos aeroportos do Galeão (RJ) e Confins (MG), após a concessão deles à iniciativa privada.
 
“Dentro do valor da outorga [paga pelos operadores privados de Galeão e Confins], vai ser destinado o que for necessário para a Infraero”, disse Vale após a cerimônia em que o governo anunciou o leilão dos dois aeroportos e um plano de incentivo à aviação regional.
 
Segundo Vale, isso significa que, nos próximos anos, caso a Infraero tenha despesas maiores que sua receita – garantida pelo Orçamento da União -, essa diferença será paga com parte do lucro da operação de Galeão e Confins.
 
Ele apontou que a medida é necessária porque a Infraero está perdendo, com as concessões, alguns dos seus poucos aeroportos superavitários. Além de Galeão e Confins, em fevereiro o governo já leiloou os aeroportos de Guarulhos, Campinas e Brasília, três dos mais movimentados do país.
 
De acordo com o presidente, a previsão é que esse aporte de recursos seja necessário nos primeiros cinco a seis anos após o leilão dos dois aeroportos, fase em que o operador terá que fazer grandes investimentos para modernizá-los e ampliá-los. E isso apesar da Infraero ser sócia da empresa que vai operar os terminais, com direito a 49% dos lucros.
 
“Quando os dividendos [da operação dos aeroportos] começarem a chegar, daqui a cinco ou seis anos, isso [o aporte de recursos] não vai ser mais necessário porque a conta vai fechar. Mas, até lá, nos vamos precisar de ajuda sim”, disse Vale.
 
Fonte: G1